O MÉDICO DA MELANCIA

O médico Claudio Leonardo de Moraes deveria receber uma melancia como troféu...

O DESESPERO DO PESSOAL DA FOLHA DA MANHÃ

Um dos atos da prefeita Rosinha Garotinho que mais revoltaram setores da imprensa campista foi o corte...

A NOVA SEDE DA CÂMARA DE SFI PODE TER PROBLEMA COM A JUSTIÇA

Se depender da Justiça, a nova sede da Câmara de São Francisco de Itabapoana pode não ser inaugurada.

O ENCONTRO DE EDUARDO CUNHA COM O SUPREMO

A primeira seção do Pleno do Supremo, prevista para o início de Fevereiro, após o recesso do Judiciário promete muitas emoções.

VEREADOR NILDO CARDOSO E A FOLHA PERDIDA

O Vereador Nildo Cardoso e a Folha da Manhã estão realmente perdidos. Nildo ainda está encantado com a época de Arnaldo e Mocaiber: Caminhonetes bonitas da Toyota...

A litigância de má fé dos vereadores nas ações contra a prefeitura


Os vereadores que entraram com ações populares contra os empréstimos do município correm sérios riscos de serem condenados por 'litigância de má fé'. Como os valores das causas são estratosféricos é provável que o patrimônio deles fiquem comprometidos. Ao que parece, quem corre mais riscos é o vereador Nildo Cardoso. É que ele teria um patrimônio maior para responder pelos danos causados com as temerárias ações que foram distribuídas. 

Você que ainda hoje está enfrentando dificuldades de receber com o município, lembre-se que foram os vereadores Rafael Diniz, Nildo Cardoso, Marcão, Fred Machado, José Carlos e outros que buscaram a judicialização do empréstimo, sob o falso fundamento de que não existia crise no país. Agora o próprio Judiciário já está enfrentando dificuldades de receber salários. Os depósitos judiciais já foram liberados pelo Judiciário para Pezão, que não pagou e nem vai pagar as partes lesadas. Todo mundo sabia que as lides eram temerárias. 

Com o fim dos mandatos dos vereadores em dezembro deste ano, provavelmente, as contas das custas judiciais e honorários para os vereadores que assinaram a ação ficarão salgadas. Nesse ponto parece que a operação financeira de Pezão vai derrubar todos em efeito cascata. E olha que, todo mal que esses vereadores fizeram a cidade, ainda não será pago com essa eventual sentença. Depois não venham com aquela conversa fiada de culpar Garotinho pelas suas condenações.

OPOSIÇÃO EM CAMPOS FECHADA PARA BALANÇO


Os últimos acontecimentos envolvendo a fragilidade da administração estadual, trás à cena tudo que a oposição vem pregando na cidade. No que se refere à antecipação de royalties em Campos, eles falam de “venda de futuro”. Entretanto, a dívida do estado, sob o comando do governador Pezão, um aliado de primeira hora dos opositores do governo Rosinha, ao que parece é de R$ 100 bilhões.

Não se deve confundir política partidária com a ordem administrativa. A cidade de Campos teve perdas com a queda de arrecadação em 2014 e 2015. Claro que a Prefeita da cidade tomou providências administrativas no sentido de evitar que o município passasse pelo mesmo vexame que Pezão está passando.

A oposição apostou em Pezão. Os vereadores Rafael Diniz, Nildo Cardoso e companhia, e até Arnaldo Vianna, brigavam para sair na foto com o governador. Eles faziam apostas sobre com quem Pezão iria caminhar na eleição. Com isso, deixaram de abrir seus espaços políticos.

Agora já estão fechados para balanço. Que mico que essa galera pagou. Quando o calo apertou a sola de Pezão e a tropa passou a chamar urubu de meu loiro, o estado apelou para o empréstimo, fazendo algo, que na verdade, deveria ter feito naquela época mais oportuna.

Pezão copiou Rosinha, o que não é nada demais. Já esse grupo que caluniou e difamou a Prefeita nesse período de turbulência econômica deveria calçar as sandálias da humildade e vir a público pedir desculpas. Não falo nem em relação ao jornal Folha da Manhã, porque neste panfleto todo mundo já deixou de acredita faz tempo.

Agora, quando Pezão passa a sacolinha em Brasília, são incapazes de visitar o Palácio Guanabara para dar um abraço dos afogados no Governador. Afinal, quem destruiu as finanças do estado foi Sergio Cabral, com todo o apoio da mídia corporativa que foi muito bem paga para isso. Para salvar a própria pele, Pezão usa uma lei idealizada pela família Garotinho. Precisou de uma mãozinha do Garotinho para resolver o problema do estado.

É uma algo até de se esperar, porque foi o ex-governador o ex-governador que saneou as dívidas do Estado quando assumiu. A sorte de Campos, é que a cidade atualmente tem a seu serviço dois ex-governadores que sempre honraram o nome desta terra. E agora? 

ONDE ESTÁ NOSSO DINHEIRO?


Diz o dito popular que “em casa que falta o pão, todo mundo fala mais ninguém tem razão”. A mídia corporativa trouxe, como se fosse um grande troféu, os balanços dos bancos no exercício de 2015: Itaú R$ 23 bilhões e Bradesco R$ 17 bilhões. O que eles fizeram pela nação no ano de 2015? Não deram aumento aos Bancários e, mais uma vez, a categoria parou o pais por mais de um mês.

Todo ano é a mesma novela. Sustentam os economistas comprometidos com os problemas nacionais que a cada R$ 10 que pagamos de tributo, R$ 7 são para pagar juros. Será que vamos assistir passivamente a escalada do desemprego e da fome já batendo a porta de pessoas honestas, que não têm trabalho. Tudo em nome de um suposto ajuste na economia. Enquanto isso são os banqueiros que estão detonando o pais. De uma coisa tenho certeza: esses desalmados são tão pobres, que só tem dinheiro.

A FALÊNCIA DA TERCEIRIZACAO NO ESTADO DO RIO


É triste a revelação de que a terceirização do Estado do Rio, comandada por Sergio Cabral, foi o maior desastre administrativo de todos os tempos.
O Estado foi sucateado, o dinheiro sumiu. Sempre em nome de uma suposta eficiência.

Na verdade era a fórmula de enriquecer alguns de seus amigos, como Arthur da Facility, Fernando Cavendish e outros tantos.

Nada funciona. Acabaram com o estado.

Tão ruim quanto ser quem está com o salário atrasado é ser o contribuinte, que só paga impostos e não vê nada feito pelo estado.

Apenas a mídia corporativa, com milhões no orçamento, era capaz de apenas contemplar,  dizer que tudo ia muito bem.

Muitas das empresas de terceirização dizem que não pagam porque o Estado não repassa os recursos. Esse argumento está errado. Quem não tem competência não se estabelece.  É igual aos empreiteiros da época de Arnaldo e Macaiber, em Campos. O cara comprava um chevette, uma escada e ficava na porta da prefeitura querendo apanhar obras, através de Carta convite.

É preciso acabar com esses picaretas donos de empresas terceirizadas que não ostentam idoneidade. Ele só paga quando recebe do Estado. Isso tem que acabar.

A União, estados e municípios devem ter autonomia para contratar diretamente. No mínimo isso acabaria com esse atravessador e muitos outros expedientes poucos Republicanos. E, por falar nisso, por onde anda Cabral?

O SONO DE CABRAL


As últimas notícias sobre a eventual delação premiada de acusados da operação lava-jato, segundo o Jornal O Globo, atingem ao ex-Governador Sérgio Cabral. Agora o barulho vem do Supremo e não do STJ, como antes.

Há quem sustente que Cabral perdeu o sono. É  claro, com ele toda aquela turma toda que se locupletou  no seu governo.
Realmente o ex-Governador estava meio escondido da mídia nos últimos meses.

Querido pelas polpudas verbas publicitárias, parece que agora começa a cair a ficha do pessoal. Não há como falar de Eduardo Cunha sem passar por Cabral.  Pelo menos no Rio de Janeiro.

Em Campos muita gente preocupada com o “Menino do Rio” (Cabral), principalmente aqueles amigos. Concorda?

O PARTIDO É DA MULHER


Era só o que faltava. O ex-vereador Rogério Matoso está filiado ao Partido da Mulher Brasileira (PMB) e agora se diz candidato à sucessão municipal de Campos. Será que confusão de gêneros chegou à política?

Este político de meia idade é filho da odontóloga Ana Regina Fernandes, distinta secretária no governo Alexandre Mocaiber, aquela que caiu bonito no grampo da Operação Telhado de Vidro (lembra?).

A escolha do partido é sui generis. Imagine se Matoso resolvesse seguir a linha do imperador Nero. Estaria no partido adequado, mas teria que assumir o compromisso, de uma vez eleito, “assumir a condição de homem de todas as mulheres e mulher de todos os homens”, diversidade que notabilizou o imperador romano.  Neste caso estaria no partido certo.

Contudo, em se tratando de alguém que esteve no PPS, PDT e PSB, fica a impressão de que para o ex-vereador partido é tão volátil quanto alguns relacionamentos modernos: a fila anda.

De sobra, diz as más línguas, Matoso está levando o blogueiro da Folha da Manhã Alexandre Bastos. Mas se Nero era o “homem de todas as mulheres e a mulher de todos os homens”, Bastos pertence a todos que lhe contemplam com uma boquinha. 

AS CHAVES DO APARTAMENTO DO EX-MARIDO


O atual casamento de um ex-prefeito da cidade está rendendo-lhe uma grande dor de cabeça.

É que a atual esposa não concorda com a liberdade que tem a ex-primeira-dama de Campos, que já tem outro esposo, mas insiste em manter em seu chaveiro as chaves do apartamento do ex-marido em uma notória demonstração de poder perante os amigos.

Pelo menos por enquanto a atual esposa do ex-prefeito tomou a providência de trocar as fechaduras do luxuoso apartamento em que atualmente reside.

Agora surgem as especulações de quanto tempo vai durar essa ordem, vez que é cediço que a ex-primeira-dama, embora separada e casada de novo, é quem tem o domínio sobre o ex-esposo, mesmo fora do relacionamento.

Os vizinhos do casal atual estão aguardando ansiosos aos próximos capítulos da novela, até porque esta é a primeira esposa do ex-prefeito de Campos depois da separação, e resolveu bater de frente. Será que é pra valer?

AUDIÊNCIA PRIVADA DO PORTO DO AÇU


Foi publicado  edital para  a realização de audiência pública no dia 27 de Janeiro de  2016 em São João da Barra, com  o objetivo de  dragar o Porto do Açu.

No entanto a audiência do INEA passou a ser privada. Foi comandada pelo professor João Thadeu de Menezes, da Universidade do Vale do Itajaí. Só fizeram o uso da palavra  aqueles  previamente  escolhidos pelo pessoal do Porto do Açu, inscritos com antecedência e passados pelo filtro do citado professor, que é ligado ao empresário Eike Batista.

Já existem alguns funcionários do INEA que respondem  a Ação Penal em razão de problemas  no licenciamento do Porto do Açu. O processo é o de nº 0495664-68.2012.8.19.0001, em curso pela 38ª Vara Criminal da Capital.  O pessoal é corajoso  e nada  está incomodando.

É provável que o artigo  312 do Código de Processo Penal ainda  esteja  em vigência. Em Curitiba esse dispositivo está sendo usado de forma constante pelo Juiz Federal Sérgio Moro.

Transformar  a audiência  pública  em privada parece complicado. Como existe processo criminal em andamento é só aguardar a posição das autoridades, principalmente o Ministério Público.

O pessoal do Porto  está brincando com fogo. A turma que assaltou a Petrobrás também se achava acima do bem e do mal.

O DESESPERO DO PESSOAL DA FOLHA DA MANHÃ


Angústia dos mensaleiros

“Um dos atos da prefeita Rosinha Garotinho que mais revoltaram setores da imprensa campista foi o corte nas relações estabelecida entre alguns veículos de comunicação e o poder público municipal. Eram as relações de compadrios, acordos milionários que nasciam nas tardes animadas, que no jargão político ganhou a denominação de mensalão. Em troca, a retribuição se dava por meio de agendas positivas, notícias aduladoras, feijoadas festivas e proteção ante as vozes roucas das ruas.

Uma simples consulta aos pagamentos do governo municipal, em administrações anteriores, aos veículos que hoje mantém oposição sistemática a administração Rosinha, será o suficiente para constatar a farra que o dinheiro público alimentou ao longo de anos. Foi o alvorecer de algumas fortunas, que inverteram o capital público em compras de imóveis, construção de galerias de lojas – com status de shoppings – investimentos bancários, sociedades privadas e viagens ao exterior. O dinheiro que financiava esses negócios era uma forma de alimentar o apetite da pistolagem editorial.

Alimentou-se o vício perverso e agora o longo período de abstinência faz com que o paciente manifeste uma espécie de surto psicótico.

Isso ajuda explicar o desencontro de informações que determinados veículos de comunicação promovem a fim de confundir a população quanto a recente operação de crédito realizada pela prefeitura de Campos para recompor perdas de royalties do petróleo. Acompanham esta marcha ultrapassada as viúvas do poder, figuras conhecidíssimas pela busca intensa de holofotes ou negócios escusos.

No que se refere à antecipação de royalties, o município de Campos agiu legalmente, com base em uma resolução do senado Federal. Contraiu a operação financeira pagando juro de 1% ao mês, uma taxa abaixo do juro praticado no mercado, mas ainda assim, o que se tenta passar é o surrealismo numérico.

É necessário que o governo Rosinha mantenha a firmeza de não retroceder em suas medidas, mantendo as relações republicanas e transparentes entre governo e veículos de comunicação. É preciso que essas empresas que surgiram sob a prática de um jornalismo predatório compreendam a nova realidade do mercado e o mundo democrático.

O advento de novas tecnologias, a pluralidade de opiniões e as diferentes plataformas de informação sepultaram, definitivamente, a pedagogia do porrete. Nunca antes, na história do jornalismo, o leitor, ouvinte e telespectador foram tão críticos e seletivos ao noticiário. Aos discípulos retardatários de uma era que já que passou, resta a desinformação, o ressentimento e a espera angustiante de um incerto retrocesso.”

Esse editorial  publicado no dia  19 de Janeiro de 2016, no Jornal O Diário, sem dúvida  reflete  a necessidade de extrema  meditação em relação  àqueles que desejam  envenenar a população com notícias inverídicas  e muitas vezes caluniosas e injuriosas contra  toda e qualquer   pessoa que faça parte do atual Governo Municipal. Chegou a hora de saber  quanto  foi gasto de  publicidade nos  governos de Arnaldo e Mocaiber, e, ainda, saber se  alguém recebeu vantagem ilícita.

Como dano ao erário  não prescreve, o município ainda  tem todo o tempo para cobrar  essa devolução. É só aguardar.

O Município de Campos-RJ pode demitir concursados?


Conversando com alguns advogados e até servidores públicos do município de Campos dos Goytacazes, cheguei à conclusão de que o município NÃO pode demitir servidores públicos com estabilidade. 

O Secretário de Administração Fábio Ribeiro afirmou em entrevista AQUI que isso não passa de "invenção da oposição".


Porém, com a queda livre do orçamento da cidade, é preciso saber ser a folha de pagamento está dentro do limite da arrecadação do município.


A outra questão que, em princípio parece  polêmica,  é a questão de discussão de servidores com estabilidade no serviço público. As nossas fontes entendem que não pode haver discussão, mas como o cargo pode ser extinto? A manifesta denúncia do município recomenda isso, sendo certo que a conveniência e a oportunidade do ato é do administrador.


Em São Paulo o município de Americana e  outros já fizeram  as demissões com amparo na Lei de Responsabilidade Fiscal.


Em Campos a questão parece ser simples, bastando que os  servidores estáveis no serviço público sejam instados  para  encaminhar à administração  o relatório de  suas atividades pelo menos nos últimos  6 meses.


Com os relatórios a administração pode conhecer se aquele  cargo é imprescindível ou não à administração.


Caso a produtividade fique comprometida, a administração, com ato fundamentado,  pode  extinguir o cargo e, por conseguinte,  o contribuinte vai deixar de suportar com aquele  encargo um servidor que  não produziu ou não tem o que  fazer na administração.


É provável que você conheça alguém. A aprovação no concurso público é critério para ser admitido.


Todavia  esse cargo, uma vez  extinto, não pode ser  ocupado  por outro servidor.


A estabilidade no serviço público não é um  passaporte para a ineficiência. No Brasil ninguém é intocável. Se não tem dinheiro para pagar é preciso dar prioridade a quem  efetivamente exerce o seu labor. Não  há espaço para a contemplação de quem recebe sem trabalhar apenas e unicamente porque é concursado. Só se  gasta quando tem.

PROCESSO ENVOLVENDO A MÁFIA DO DETRAN DO RIO AGUARDANDO SENTENÇA


Um dos processos mais rumorosos do Estado envolve sem dúvida um grupo que durante anos se locupletou de dinheiro público às custas do DETRAN.


Os crimes, segundo a denúncia do Ministério Público, são de quadrilha (artigo 288 do CP); Usurpação de função pública (artigo 328 do CP); Usurpação de dados falsos em sistema de informação (artigo 313-A do CP); Modificação ou alteração não autorizada em sistema de informação (artigo 313-B do CP); Corrupção passiva (artigo 317 do CP) e Supressão de documento (artigo 305 do CP). 

Na relação de acusados um número bastante significativo de Campistas, aliados a um Deputado da Região. 

Também bastante significativo o número de criminalistas da cidade de Campos.

Há quem afirme que existe uma pessoa tentando colaborar com as autoridades em troca do perdão. Essa moda realmente pegou.

Enquanto não sai a delação, a sentença é aguardada. O processo é o de nº 0006225-45.2012.8.19.0023 e tramita pela Vara Única da Comarca de Itaboraí. 

Tem muita gente perdendo o sono com esse processo. Segundo as autoridades, há  4 anos atrás a quadrilha faturava  200 mil reais por semana. 

O delegado, à época, disse  que as investigações  iriam continuar. É, pode ser.

VEREADOR NILDO CARDOSO E A FOLHA PERDIDA



O Vereador Nildo Cardoso e a Folha da Manhã estão realmente perdidos. Nildo ainda está encantado com a época de Arnaldo e Mocaiber:  Caminhonetes bonitas da Toyota. A Folha era a dona de quase toda a verba publicitária. Na verdade o Município deveria fazer uma auditoria para que o Grupo Folha devolva os polpudos recursos indevidos  recebidos nos Governos Arnaldo e Mocaiber.

O país está todo enrolado com a crise onde ninguém se entende e o advogado José Paes Neto vem falar de economia, quando nunca administrou um carro de pipoca. 

O que ele tem é aquela boquinha na Câmara de São João da Barra. 

A atual administração, pelo que se sabe, aportou dinheiro para pagar as contas do Governo pela perda de arrecadação. Pior do que pegar dinheiro emprestado é se omitir e assistir aos nossos irmãos, inclusive de outros municípios, morrendo por falta de atendimento nos hospitais, o que frequentemente vem acontecendo no Rio de Janeiro e outros Estados da Federação. 

É verdade que Campos tem obras paradas, mas foi o próprio Nildo Cardoso Com Rafael Diniz e Marcão que atrapalharam o andamento do empréstimo com o ajuizamento de varias Ações Populares contra o Governo e contra quem tem dinheiro para receber na Prefeitura. 

Rafael sustenta que a Prefeita deveria guardar  dinheiro. Rafael, dinheiro da Prefeitura é para gastar  com o povo melhorando a sua qualidade de  vida e a  sua autoestima. Com certeza  não é para comprar fazenda nem cavalo de raça. 

Nota-se que a Folha e esse grupo de políticos irresponsáveis é quem que vem cobrando a demissão de funcionários da Prefeitura. 

Se faltar dinheiro não há como o Município manter nem mesmo os concursados. 

Quem está lutando contra os servidores é a Folha. 

E olha a situação do Estado. Esse pessoal da Folha é coveiro. O negócio só fica bom se entregarem as chaves do cofre da Prefeitura para eles, como aconteceu na época de Arnaldo e Mocaiber. 

No mais, os ataques à Prefeita não são oportunos, vez que ela se submeteu  na última  2ª feira, dia 25 de Janeiro, a uma intervenção cirúrgica. 

O ENCONTRO DE EDUARDO CUNHA COM O SUPREMO


A primeira seção do Pleno do Supremo, prevista para o início de Fevereiro, após o recesso do Judiciário promete muitas emoções.

É que existe previsão que o colegiado delibere sobre o recebimento de denúncia ou denúncias do Procurador da República Rodrigo Janot contra o atual Presidente da Câmara, Eduardo Cunha.

Pode o Supremo decretar a sua prisão e o consequente afastamento da Presidência da Câmara dos deputados.

Na primeira hipótese, caberia à Câmara decidir se manteria ou não a sua prisão. Tudo isso com o voto aberto.

Em todos os casos, ou seja, pelo Supremo e pela Câmara, tudo será transmitido ao vivo para todo o Brasil.

O assunto promete bem mais audiência do que o dos últimos jogos da seleção brasileira.

Mesmo depois de preso e afastado da  presidência, Eduardo Cunha não estaria morto, apenas ferido.

Se existe algo que todo brasileiro quer saber é como será o fim dessa novela de Eduardo Cunha. O cara falava que era tão honesto...

Enquanto isso, é bem provável que todos os envolvidos estejam com a escuta oficial da justiça, através da Polícia Federal. Haja  coração!

A NOVA SEDE DA CÂMARA DE SFI PODE TER PROBLEMA COM A JUSTIÇA


Se depender da Justiça, a nova sede da Câmara  de São Francisco de Itabapoana pode não ser inaugurada.

A ação cautelar  é movida pela empresa  que fez a obra e ainda não recebeu por tudo que fez.

Trata-se de uma briga entre o atual  presidente da  Câmara, Renatinho de Buena, e o vereador Claudinho Viana.

É provável que o Renatinho esteja levando o Prefeito Pedrinho Cherene, candidato natural à reeleição para uma grande encrenca exatamente dentro de  um ano eleitoral. O Blog voltará ao assunto sobre a sucessão em São Francisco.

O MÉDICO DA MELANCIA



O médico Claudio Leonardo de Moraes deveria receber uma melancia como troféu. Pelo que se sabe, ele é um servidor público pago pelo povo de Campos para trabalhar e não para ficar dentro dos hospitais para ficar fazendo política partidária e fofoca, tirando fotos para a Folha da Manhã. Não se sabe até hoje porque esse profissional ainda não foi punido pela Prefeitura.

A saúde no Município de Campos é uma das melhores do Brasil.

Basta observar a tabela paga pelo Município nos procedimentos em relação aos demais. O próprio Dr. Cláudio Leonardo escolheu a cidade de Campos para trabalhar.


É bem provável que, se o salário não fosse o que é para os médicos em Campos, ele não estaria aqui falando mal de onde vem seu sustento.


Se a saúde é tudo que ele sustenta, não deve esquecer que ele também faz parte dela. Ou não?
O Cardiologista infantil sustenta ainda que a saúde  do Município tem pouco investimento. É o caso do médico informar onde tem melhor do que Campos.


Uma  situação é certa: não é desse jeito que o Senhor vai ser vereador em Campos.


Pela própria especialidade (cardiologista infantil)  não deixa de ser a prova inequívoca que a administração é muito bem intencionada. Basta procurar em todo o Estado do Rio para saber  quantos hospitais  tem o padrão de  ter um cardiologista infantil de plantão.

Deve ser por  isso  que lhe está sobrando tempo para  fazer fofoca nos hospitais onde trabalha.
Proxima  → Página inicial